Hormônios da felicidade

Você já ouviu falar nos hormônios da felicidade? As famosas “inas”, endorfina, serotonina e dopamina. Esses hormônios são liberados em diversos momentos, mas principalmente depois daquele treino intenso. Sabe aquela sensação boa de dever cumprido? É culpa dos hormônios, e hoje vamos falar um pouco desses nossos aliados. 

Endorfina: É conhecida por ser a morfina natural do corpo, faz com que a pessoa seja mais resistente a dores. Estudos indicam que a intensidade do exercício influencia na quantidade de hormônio no corpo, ou seja, com intensidade baixa e moderada libera menos endorfina do que exercícios com alta intensidade. Sabe aquela pessoa que não gosta de fazer atividade físicas mas adora a sensação de ter feito, é a endorfina agindo diretamente no sangue.

Além de atividades físicas, existem outras maneiras de liberar a endorfina naturalmente no corpo como: chocolate (70% cacau e um quadradinho por dia já é o suficiente), dar gargalhadas, ter contato íntimo, ser grato, relembrar bons momentos e fazer planos. 

Serotonina: É o hormônio que atua regulando o humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, temperatura corporal, sensibilidade e funções intelectuais. Por isso muitas vezes a baixa de Serotonina, é associada com a depressão e com a ansiedade.  Umas das formas de saber se esse hormônio está em baixa é analisando mudanças no humor.

Para manter a Serotonina sempre em alta é importante ingerir alimentos ricos em triptofano (como peixes, ovos, nozes, castanhas e leguminosas), praticar exercícios físicos com regularidade e em casos mais severos, tomar remédios.

Dopamina: É comumente chamado de hormônio, mas na verdade é um neurotransmissor e sua falta pode ser associada a doença de parkinson.  O aumento do nível de dopamina no organismo pode estar vinculado com a esquizofrenia. Também é conhecido como o “Hormônio do prazer”, está ligado diretamente com o aumento do libído e atua em diversos sistemas do organismo, como a regulação motora dos movimentos voluntários, do humor, das vias da memória, da atenção, do prazer, entre outras. 

Diversas frutas – como banana, maçã e melão –, vegetais, legumes e atividade físicas pode aumentar o nível de dopamina, já açúcares e café podem desregular os neurotransmissores negativamente.

Regulando uma boa alimentação com atividade físicas constantes é possível manter esses hormônios saudáveis, então ta esperando o que pra marcar logo a sua aula experimental? Só clicar no botão e agendar.  

Fechar Menu