Conhecendo a Itália sob duas rodas com a FlyTour

No último texto do blog falamos sobre uma das principais competições de ciclismo do mundo: o Giro d’Itália. Nesse país, nomes fortes fizeram história nas competições: Fausto Coppi, Gino Bartali e Mario Ricci, entre inúmeros outros. E no dia a dia dos moradores, a bicicleta também está ganhando cada vez mais espaço. Na cidade de Bari, no sul da Itália, existe um incentivo de até 25 euros por mês para quem trocar o carro pela bike. Em Bolonha, uma medida anti-poluição foi criada para encorajar as pessoas a deixarem o carro em casa. Quem pedala ganha cerveja, segundo o projeto do urbanista Marco Amadori, com o objetivo de deixar esse meio de transporte mais atraente. Vários bares e restaurantes aderiram, oferecendo descontos para quem chega de bicicleta. Lembrando que Bolonha é considerada uma das capitais mundiais da gastronomia! 

Outra curiosidade são os ciclistas de Ferrara, a pequena cidade na província de Ravena, que é a grande inspiração para o resto do país. Lá a adesão ao uso de bikes chega aos 30%. Contudo, diferente de muitas cidades onde quem pedala é, em sua maioria, jovem, são os mais velhos que dominam a paisagem ciclística. A cidade de Ravenna, capital da província homônima, também é destaque quando se fala em pedal.

E para os turistas? O que a Itália oferece em programação?

Há uma grande oferta de bike-tours na Itália passando por diversas regiões, como os Alpes, Umbria, Sicília, Púglia etc. Neste post daremos atenção especial à Toscana com seus roteiros, programas e eventos ligados ao mundo ciclístico. Na Toscana, o turista desfrutará de uma gama enorme de opções ligada a passeios de bicicletas. Há ofertas para um simples aluguel, passeios de 1 dia até roteiros de uma semana.

DAY TRIP na Toscana: como funcionam?

Os percursos podem variar de acordo com a preparação física dos participantes. O número mínimo para serem realizados os tours são 2 pessoas e, normalmente, eles incluem: 1 dia de aluguel de bike, 1 dia de guia privado para bike tour, parada para degustação de vinhos ou almoço e carro de resgate para emergências.

Há opções pelas regiões de Chianti, cenário panorâmico de tirar o fôlego, entre vinhedos e oliveiras, sabores e aromas que dão o tempero a este ângulo de Toscana. Um percurso inesquecível com saída da cidade de Siena, passagem na famosa Via Francigena e chegada na pequena e encantadora cidade de San Gimignano, também conhecida como cidade das torres. Já imaginou pedalar nesse clima medieval?

Mas se você quer unir vinho e pedal, nossa sugestão é Um Wine bike na Bolgheri. Bolgheri é hoje referência na produção de vinhos, como o famoso Sassicaia. O território é rico de vinícolas e o bike tour consiste em visitar as melhores delas. O percurso é de 40 km com parada para 2 degustações e almoço em Bolgheri. Imperdível!

Se você busca um visual bucólico sua escolha ideal é sair para curtir as mais lindas paisagens da Val d’Orcia! A paisagem desta região é daquela Toscana que você tem na cabeça. Há 2 opções de trajeto: a primeira opção tem cerca de 60 km com parada para lanche e degustação de produtos típicos e o famoso Brunello di Montalcino. A segunda possui cerca de 45 km com parada para lanche e degustação de produtos típicos. Mas para estes percursos o melhor é utilizar bicicletas hibridas ou MTB, e assim pedalar nas famosas estradas, cenários de grandes pinturas e filmes internacionais.

“Bike-tour “de 6 dias:

Há também tours de vários dias percorrendo diversas regiões da Toscana, mesclando pedal, gastronomia e vinho. São vários dias pedalando por colinas repletas de bosques e vinhedos, vilarejos medievais, fortificações antigas, cidades históricas, obras renascentistas e, de quebra, muitas trilhas. Na Toscana, através das ciclovias, é possível fazer passeios customizados ou comprar pacotes que oferecem passeios com profissionais locais. Geralmente, em tours pré-montados os turistas pedalam de 22 km a 58 km por dia, em média. Não se preocupe com a distância, pois são realizadas paradas estratégicas para visitar pontos turísticos, pausas para saborear a comida local em trattorias e para degustação dos vinhos Brunello e Chianti Clássico.

Para os que não estão prontos fisicamente para encarar esse percurso ou ainda para os que se deixaram seduzir pelos vinhos e pela gastronomia local, tem a opção de pular para o carro de apoio que acompanha os ciclistas durante todo o trajeto oferecendo comes, bebes e descanso. 

Normalmente, as hospedagens são em charmosos Agriturismo, que é uma alterativa aos hotéis comuns. A proposta é que o turista fique hospedado em uma fazenda, que geralmente produz azeite ou vinho e é de administração familiar.

Fazer um passeio de bicicleta na Toscana é maravilhoso para todos os tipos de ciclistas! É uma experiência “à la Sob o Sol da Toscana”, que tem tudo a ver com tranquilidade, boa comida e contato com a natureza.

Dicas Flytour Juiz de Fora

A melhor época do ano para a viagem depende do objetivo do turismo: de junho a setembro é verão e a temperatura pode atingir os 40 graus durante as tardes mais quentes. Mas a média fica entre 25 e 30 graus, o que torna o passeio ainda mais agradável. Quem gosta de sol e calor precisa evitar os meses de novembro a fevereiro, sempre mais frios no hemisfério norte.

Para os amantes do vinho, a dica é programar a viagem para setembro, época da colheita e de festas como a Expo del Chianti Classico, em que são servidos vinhos e realizadas programações culturais e artísticas, que acontece em Greve in Chianti, cidade de Florença.

Para pedalar na Toscana não é necessário ter um preparo físico de atleta. Porém, para quem é pouco adaptado a pedaladas, o ideal é começar com um tour mais curto e leve. Os turistas que têm condicionamento físico mais avançado, podem investir nos tours mais longos.

Equipamentos: a partir da bicicleta todo o equipamento será alugado no local. No entanto, aconselhamos levar suas luvas, sapatilhas, roupas de ciclismo adaptada ao clima da viagem, casacos corta vento e impermeáveis.

Texto produzido por FlyTour.

Fechar Menu